Sexta, 23 de Julho de 2021 17:07
(68) 9 9241-7768
Dólar comercial R$ 5,2 -0.05%
Euro R$ 6,12 -0.05%
Peso Argentino R$ 0,05 -0.06%
Bitcoin R$ 180.309,02 +1.169%
Bovespa 125.052,78 pontos -0.87%
Geral Levantamento

IBGE aponta que Acre pode reduzir indústrias e Fieac pede soluções urgentes ao governo

“Esses dados do IBGE, de certa maneira, confirmam que necessitamos urgentemente de uma politica industrial que tente reverter o processo, o que não se trata de tarefa fácil”, concluiu o presidente.

21/07/2021 16h15
Por: Redação Acrelândia News Fonte: ac24horas
IBGE aponta que Acre pode reduzir indústrias e Fieac pede soluções urgentes ao governo

A Pesquisa Industrial Nacional (PIA), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nessa quarta-feira, 21, aponta que o Acre pode ter encolhimento do Valor de Transformação Industrial (VTI) conforme dados coletado entre 2010 e 2019, que foi  de 0,1 ponto percentual, saindo de 0,4% para 0,3% no período.

O resultado foi puxado, sobretudo, pela indústria de transformação, que sozinha detém 97,9% do setor, e fechou 28 mil empresas em seis anos.

Apesar do resultado, a PIA mostra que há setores fortes no Acre. A  fabricação de alimentos, com 60% de participação na produção industrial, é o segmento que mais contribui com o índice. Em seguida, a fabricação de produtos da madeira (11%); e fabricação de produtos minerais não metálicos (7,7) completam a lista dos maiores.

O presidente da  Federação das Indústrias do Acre (Fieac), José Adriano, os dados do IBGE confirmam a urgência de políticas voltadas à indústria acreana.   “De forma resumida diria que a PIA divulgada pelo IBGE em 21/07 refere-se ao ano de 2019, e indica claramente o processo de desindustrialização   que o Brasil vem atravessando, principalmente após a crise de 2007/2008. É o que se pode concluir de acordo com uma primeira análise dos dados da PIA”, disse Adriano.

Ele observa  que  antes de 2007/2008 o cenário externo se mostrava favorável e isso permitiu ao país certa tranquilidade. Entretanto, depois de 2007, quando o cenário externo virou, os problemas começaram a se multiplicar aprofundando questões estruturais nunca resolvidas. Com a pandemia, a crise se agravou e ganhou novos contornos.

O debate da crise no Acre aconteceu principalmente após 2014 e 2015 onde as diversas pesquisas realizadas pela Fieac destacaram quedas no número de empregos, empresas e faturamento.

“Esses dados do IBGE, de certa maneira, confirmam que necessitamos urgentemente de uma politica industrial que tente reverter o processo, o que não se trata de tarefa fácil”, concluiu o presidente.

No Brasil, o número de empresas da indústria encolheu pelo sexto ano seguido em 2019, antes da pandemia de Covid. O setor somou 306,3 mil companhias, uma redução de 8,5% em relação a 2013, pico da série histórica, quando tinha 335 mil.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Acrelândia - AC
Atualizado às 18h51 - Fonte: Climatempo
32°
Poucas nuvens

Mín. 16° Máx. 33°

34° Sensação
4.8 km/h Vento
51% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (24/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 33°

Sol com algumas nuvens
Domingo (25/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 33°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias